Morte por covid no Brasil cresce na faixa de 30 a 59 anos

Morte por covid no Brasil cresce na faixa de 30 a 59 anos

A participação da faixa etária de 30 a 59 anos no total de mortes pela covid-19 aumentou nos últimos 4 meses. Em dezembro, esse grupo representou 20,3% dos óbitos, mas os dados preliminares de março indicam que, agora, esse percentual chegou a 26,9%. Em todos os meses de dezembro para cá houve aumento da proporção de pessoas de meia-idade no total de novas vítimas do coronavírus.

Os dados foram compilados pelo Poder360 a partir de informações de 253.054 mortes registradas no banco de dados Sivep-Gripe, do SUS. Só foram analisados os óbitos com informações completas sobre idade e mês da morte. Por essa razão, o número é inferior aos dados mais recentes do Ministério da Saúde.

O aumento das mortes no grupo de meia-idade é acompanhado por uma redução do percentual de idosos. As vítimas que tinham 60 anos ou mais foram 79% do total em novembro, a maior proporção até agora. Desde então a proporção cai de forma constante. Em março, 71,5% das pessoas que morreram por covid-19 estava nessa faixa etária.

Para o professor de epidemiologia Walter Ramalho, da UnB (Universidade de Brasília), essa mudança no perfil das vítimas do coronavírus pode ter relação com o avanço da campanha de vacinação nos idosos e também com questões comportamentais. “Em alguns Estados, a vacinação das pessoas acima de 75 anos já foi concluída. Além disso, a população idosa no geral é mais reclusa que os jovens, que circulam mais”, diz. “Tudo sugere que existe um comportamento social atrelado a isso”.

Considerando todo o período da pandemia, a composição etária dos mortos é a seguinte:

  • jovens de até 29 anos – 1,5%;
  • pessoas de 30 a 59 anos – 22,5%;
  • idosos de 60 ou mais anos – 76%.

Os dados compilados pelo Poder360 mostram que nos últimos meses a proporção de pessoas de meia-idade aumentou e, em março, já ultrapassa ⅓ dos mortos em 7 Estados.

Amazonas

O aumento do percentual de mortes na faixa etária de 30 a 59 anos foi mais acentuado em alguns Estados.

No Amazonas, essa mudança no perfil das vítimas coincidiu com o colapso do sistema hospitalar, ocorrido em janeiro, quando faltou oxigênio nas unidades de atendimento. Em março, 35,5% dos registros de mortes de covid-19 até agora estão na faixa de 30 a 59 anos. Quatro meses antes esse número era 10,8 pontos percentuais menor.

O professor Walter Ramalho também aponta possível impacto da variante brasileira do coronavírus, a P1, no quadro recente da pandemia no Amazonas. Foi no Estado que essa nova cepa foi identificada 1º. “A P1 já é dominante no Amazonas. Ela parece afetar mais os jovens do que a 1ª variante”, diz o epidemiologista.

São Paulo

A proporção de pessoas de meia-idade no total de vítimas do coronavírus em março também cresceu no Estado mais populoso do país. Foi 19,9% das mortes em janeiro para 27,6% em março (das mortes computadas até agora).

Pior no Norte e Nordeste

Cinco dos 7 Estados com mais de ⅓ de mortos no grupo de meia-idade estão nessas regiões. Em Rondônia, Roraima e Alagoas, essa faixa etária representa mais de 40% do total. Esses dados são dos óbitos em março e ainda serão atualizados pelo Ministério da Saúde.

Estado por Estado

Poder360 preparou uma tabela interativa com a evolução da faixa etária das pessoas que morreram por covid-19 em cada unidade da Federação. Selecione o Estado desejado e passe o cursor em cima das linhas para visualizar os percentuais.

Walter Ramalho diz ser necessário uma mudança comportamental para frear o atual estágio da pandemia, com maior adesão a medidas de isolamento social.  “Sabemos que vivemos em uma sociedade onde o coronavírus existe, que temos uma variante possivelmente mais infecciosa e com mais impacto entre jovens; e ainda assim as pessoas estão muito resistentes ao lockdown”, afirma.

Para o especialista, caso nada mude, o país enfrentará “uma situação caótica” pelas próximas duas semanas. Na semana atual, o Brasil bateu seguidos recordes de mortes por covid. Nunca a média móvel de óbitos em 7 dias esteve em um patamar mais elevado que o atual.

Fonte: Poder 360

Portal de Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *